04/02/2024 às 08h30min - Atualizada em 04/02/2024 às 08h30min

Jovem celebra nota alta no Sisu, raspa a cabeça, faz festa e descobre falha no sistema

Tiago diz que sua família já está em contato com um advogado e cogita entrar na Justiça por danos morais após o caso.

Da redação

Reprodução
Após o MEC (Ministério da Educação) divulgar de forma indevida os resultados do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) 2024, estudantes ficaram frustrados ao serem informados que foram aprovados e depois ficarem sem as vagas nas universidades públicas.

O que aconteceu?


O MEC divulgou de forma equivocada o resultado do Sisu 2024 no último dia 30. Na sesta-feira, 02, o ministério afirmou que houve uma "divulgação indevida de resultados provisórios" e confundiu estudantes sobre sua classificação para cursos em universidades públicas do país.

LEIA MAIS: Pará tem cerca de 800 mil títulos de eleitor suspensos ou cancelados


Cabeça raspada, festa interrompida e frustração. O estudante Tiago Melo, 18, do Rio Grande do Norte, aparecia como aprovado, inicialmente, para Tecnologia da Informação na UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte). A empolgação foi generalizada na família, pois ele teria passado na instituição que mais queria.

"Eu e minha família fizemos aquela festa toda, com espuma, fomos para o cursinho comemorar, tirei a clássica foto com o braço pintado e até a cabeça eu raspei. Meus pais e meu irmão estavam muito felizes, até que, pela tarde, o MEC disse no Instagram que os resultados da manhã do dia 30 deveriam ser desconsiderados", afirmou o estudante, Tiago Melo.

O jovem entrou no sistema do Sisu na manhã do dia 30. Na lista divulgada no site, aparecia seu nome superando a nota de corte para o curso em TI, seu sonho desde a infância.

Contudo, na tarde do dia 31, após o MEC desconsiderar a lista inicial, saiu uma segunda composição dos aprovados. No segundo momento, o nome dele já não estava mais lá, havia caído duas posições.

"Eu estava aprovado, com nota maior do que a nota de corte e, do nada, surgiram duas pessoas com a nota maior do que a minha? Ficamos incrédulos. Como pode, novas notas aparecerem mesmo depois do prazo para as notas serem postas no sistema já terem acabado? Fiquei sem chão", conta Tiago.

Em outro caso, Ruy Antonucci Neto, estudante mineiro, também relatou ter "perdido" a vaga no curso de Medicina da Universidade Federal de Viçosa. Ele comentou que entrou no site às 9h40 do dia 30 e, aparentemente, estava entre os 25 aprovados.

"Não era mais para acontecer erros como esse". Claudia Costin, cofundadora da organização Todos Pela Educação e do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas, ressalta que o erro gera frustração nos estudantes e desconfiança sobre o sistema.

"De repente meu nome está na universidade que eu quero, e depois não está mais. Gera uma insegurança em relação a procedimentos. É importante falar como isso impacta o calendário de outras instituições. As faculdades privadas só começam as matrículas após a divulgação do Sisu. Ao aluno constatar que não entrou na federal, ele tenta o Prouni, o Fies e assim por diante. Portanto, é um problema que afeta o sistema de ensino superior como um todo. Queremos que esse erro não se repita", afirmou Claudia Costin.

MEC vai investigar o caso

Em nota encaminhada ao UOL, o MEC afirmou que o sistema do Sisu é seguro e que os resultados oficiais não são modificados. Como explicação para o que aconteceu no dia 30, a entidade disse que está investigando a ocorrência.

"O que houve foi uma divulgação indevida de resultados provisórios, ainda não homologados, durante 25 minutos da manhã do dia 30 de janeiro. A ocorrência está sendo rigorosamente apurada" - Nota do MEC

O MEC informou que os "candidatos não selecionados na chamada regular podem manifestar interesse em participar da lista de espera até o dia 7 de fevereiro".

Tiago diz que sua família já está em contato com um advogado e cogita entrar na Justiça por danos morais após o caso.

As matrículas com o resultado do Sisu vão até o dia 7. Mais de 2 milhões de estudantes disputam 264 mil vagas em 6.827 cursos de graduação nas instituições públicas participantes do Sisu. As listas de espera valerão para todo o ano.

Com informações de UOL 

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ
Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp