10/08/2022 às 15h46min - Atualizada em 10/08/2022 às 15h46min

Mais de 1 milhão pessoas em situação de pobreza na Região Metropolitana de Belém

Estudo aponta 843mil em situação de pobreza e 197mil pessoas em situação de extrema pobreza

Amaral Rosa, estagiário, sob supervisão de Yuri Siqueira, jornalista.

Jornal Pará Publicidade 790x90

Amaral Rosa
A taxa de pobreza no país subiu de 16% para 23,7%, Entre 2014 e 2021. Os dados são do Boletim da Desigualdade nas Metrópoles. O estudo levantou dados preocupantes sobre a situação de pobreza nas regiões metropolitanas e tem como objetivo produzir um conjunto de informações relevantes acerca das desigualdades de rendimentos nessas regiões do país. O trabalho é fruto de uma colaboração entre INCT Observatório das Metrópoles, o PUCRS-Data Social, e a Rede de Observatórios da Dívida Social na América Latina (RedODSAL). O boletim é realizado com uma linguagem menos técnica, com o intuito de atingir um público mais amplo. 

O estudo define a pobreza como a circunstância na qual necessidades básicas não são atendidas de forma adequada, ou seja, é entendido como pobre aquele indivíduo que não dispõe dos meios minimamente necessários para participar adequadamente da vida na sociedade em que está inserido. 

O método utilizado na análise para medir a diferença entre as classes foi o Coeficiente de Gini, que mede o grau de distribuição de rendimentos entre os indivíduos de uma população, variando de zero a um. O valor zero representa a situação de completa igualdade, em que todos teriam a mesma renda, e o valor um representa uma situação de completa desigualdade, em que uma só pessoa deteria toda a renda. Dessa forma, é possível comparar a desigualdade de renda entre dois momentos ou locais a partir desse coeficiente. 

Em 2012 a Região Metropolitana de Belém (Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Bárbara e Santa Isabel do Pará) registrava 0,507 no coeficiente de Gini. Em 2021 o estudo registrou 0,582. Os dados são calculados a partir da renda domiciliar per capita da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua realizadas pelo IBGE. O Boletim apontou 843mil em situação de pobreza e 197mil pessoas em situação de extrema pobreza, os dados foram obtidos através da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do IBGE.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp