13/05/2024 às 13h01min - Atualizada em 13/05/2024 às 13h01min

PF investiga desvio de R$ 4 milhões de associação indígena em Marabá, no Pará

O investigado teria transferido para sua própria conta e de terceiros quase R$ 4 milhões, nos últimos anos.

Jornal Pará

Ascom PF
A Polícia Federal cumpriu, na última sexta-feira (10), dois mandados de busca e apreensão, em Marabá. A Operação, de nome É Pra Valer, apura desvios dos recursos recebidos pela Associação Indígena Baiprã de Defesa do Povo Xikrin Odja. 

Os mandados foram na casa do investigado e na associação da qual ele faz parte como diretor. Foram arrecadados documentos contábeis da instituição, um celular e um HD externo, que serão analisados pela Polícia Federal. 

LEIA TAMBÉM: 82 municípios do sul e sudeste do Pará têm potencial para desastres ambientais; veja a lista


Aproveitando a condição de diretor da entidade, o investigado teria transferido para sua própria conta e de terceiros quase R$ 4 milhões, nos últimos anos. O valor recebido pela Associação é de indenização paga pela Vale ao povo Xikrin Odja, referente a impactos ambientais causados por extração no rio Catete. A aldeia fica no município de Água Azul do Norte/PA, a pouco mais de 300 quilômetros de Marabá, localização da sede da associação.

Com o suposto desvio financeiro, há relatos de padecimento de necessidades básicas por parte de alguns indígenas, visto que os recursos que deveriam receber foram em parte desviados ou mal administrados.

A decisão judicial, dentre outras medidas cautelares, decretou o afastamento do investigado do cargo junto à associação. O alvo responderá pelo crime de apropriação indébita qualificada.

A operação foi denominada É Pra Valer tendo em vista o investigado já ter sido denunciado e processado por fatos semelhantes em 2015, porém absolvido por falta de provas.

Com informações de PF

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ
Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp