09/02/2024 às 12h02min - Atualizada em 09/02/2024 às 12h02min

Valdemar e outros 3 presos em operação da PF passam por audiência de custódia nesta sexta-feira

Presidente do PL, Valdemar Costa Neto foi preso nesta quinta-feira, por posse ilegal de armas, durante a operação Tempus Veritatis, que investiga suposta tentativa de golpe de Estado.

Da redação

Jornal Pará Publicidade 790x90

Reprodução
O presidente do Partido Liberal (PL) Valdemar Costa Neto, e outros três presos durante a operação Tempus Veritatis, deflagrada pela Polícia Federal (PF), nesta quinta-feira (8), passarão por audiência de custódia nesta sexta-feira (9). A operação mirou grupo investigado por envolvimento em uma suposta tentativa de golpe e teve como alvos o ex-presidente Jair Bolsonaro, militares e ex-ministros. 

Valdemar não foi preso por fatos relacionados à investigação da PF, mas por posse irregular de arma de fogo e por usurpação de bem mineral da União, em razão da posse de uma pepita de ouro, que, segundo a Polícia Federal, tem origem em um garimpo ilegal. Ele passou a noite na Superintendência da PF em Brasília, e passará pela audiência no mesmo prédio. O procedimento é necessário para verificar as condições em que um preso está sendo mantido. A audiência de custódia do dirigente do PL está marcada para as 15h, por vídeoconferência.

LEIA MAIS: Ricardo Lewandowski nomeia novos secretários no Ministério da Justiça


O PL divulgou uma nota sobre a prisão de seu presidente. "A defesa do presidente Nacional do PL, Valdemar Costa Neto, afirma que não há fato relevante algum e que a pedra apreendida tem baixo valor e não configura delito segundo a própria jurisprudência. Afirma também que a arma é registrada, tem uso permitido, que pertence a um parente próximo e que foi esquecida há vários anos no apartamento dele. Em outras palavras: Como pode alguém ser detido por ser portador de uma pedra guardada há anos como relíquia e que, segundo a própria auditoria da Polícia Federal, vale cerca de 10 mil reais?", diz o texto. 
 
Outros presos

Como parte da operação, foram expedidos quatro mandados de prisão preventiva, sendo que três deles foram cumpridos ainda na quinta-feira. Os presos, que também terão audiência de custódia nesta sexta-feira, são:

- Felipe Garcia Martins: às 14h, na Superintendência da PF no Paraná;
- Marcelo Costa Câmara: às 14h20, no Batalhão da Guarda Presidencial, em Brasília;
- Rafael Martins de Olivera: às 14h40, no Comando da Artilharia Divisionária da Divisão do Exército, em Goiás

O coronel Bernardo Romão Corrêa Neto, que foi alvo de prisão preventiva na Operação da Polícia Federal, não estava no Brasil. Porém, ele teve seu passaporte apreendido, foi desligado do curso nos Estados Unidos e será trazido por um militar para o Brasil para ser entregue à PF. 

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ
Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp