18/01/2024 às 09h16min - Atualizada em 18/01/2024 às 09h16min

Polícia Federal e ICMBio fecham sete garimpos ilegais em Parauapebas e Curionópolis

O garimpo ilegal é uma das principais ameaças ao abastecimento de energia elétrica no Brasil.

Da redação

Jornal Pará Publicidade 790x90

PF
A Polícia Federal (PF) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) fecharam sete garimpos ilegais de ouro nesta quarta-feira (17/01) em Parauapebas e Curionópolis, no Pará. As operações, denominadas Igarapé Gelado, Serra Leste e Rio Novo, foram realizadas com o apoio do Batalhão de Polícia Ambiental e 23º Batalhão de Polícia Militar de Parauapebas.

Os garimpos estavam localizados em áreas de preservação ambiental, próximas a linhas de transmissão de energia elétrica e a rios que abastecem a cidade de Parauapebas e região.

Leia mais: Reforma do complexo do Ver-o-Peso custará R$ 63 milhões e deve começar em março


Em Parauapebas, a ação da PF foi acompanhada por forte resistência de moradores de uma vila próxima aos garimpos. Os manifestantes bloquearam o acesso da estrada com pneus e pedras, bem como lançaram rojões e pedras contra o helicóptero da Polícia Federal.

Na ocasião, a PF invadiu uma residência de garimpeiros e prendeu sete pessoas em flagrante por crimes ambientais. Os suspeitos foram encaminhados à delegacia e responderão por crime de garimpo ilegal, dano ao meio ambiente e resistência à autoridade.

Máquinas e equipamentos apreendidos e inutilizados

Foram apreendidas duas Pás Carregadeiras, 16 motores hidráulicos, uma draga e 3 mil litros de diesel. Tendo em vista a impossibilidade de remoção, os maquinários e acessórios foram inutilizados. O prejuízo do crime com a perda desses itens é estimado em cerca de R$ 1,5 milhão.

Garimpo ilegal ameaça abastecimento de energia elétrica

O garimpo ilegal é uma das principais ameaças ao abastecimento de energia elétrica no Brasil. As linhas de transmissão de energia são frequentemente alvo de invasões por garimpeiros, que colocam em risco a segurança das estruturas e podem causar interrupção no fornecimento de energia.

No caso das operações realizadas nesta quarta-feira, os garimpos estavam localizados em áreas próximas a linhas de transmissão da Usina Belo Monte (BMTE). Essa usina é responsável por gerar cerca de 11,2 gigawatts de energia elétrica, o que equivale a cerca de 8% da capacidade instalada do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Garimpo ilegal também prejudica o meio ambiente

Além de ameaçar o abastecimento de energia elétrica, o garimpo ilegal também causa diversos danos ao meio ambiente. A atividade é responsável pela desmatação, poluição de rios e contaminação do solo e da água.

 


No caso dos garimpos fechados nesta quarta-feira, os rios Rio Novo e Igarapé Gelado, que abastecem a cidade de Parauapebas e região, foram severamente poluídos. A bacia hidrográfica local já apresenta alto grau de contaminação por conta do uso irregular de mercúrio.

Com informações de Portal Pebão

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ
Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp