03/08/2023 às 10h26min - Atualizada em 03/08/2023 às 10h26min

Prefeitura de Belém pede extensão do uso do aterro de Marituba por mais seis meses

Gustavo Brasil, Procurador do Município de Belém, disse em entrevista à TV Liberal que há o pedido de prorrogação do prazo

Da Redação - com informações de Tv Liberal

Reprodução / Internet
Agosto é um mês decisivo para a questão dos resíduos sólidos da Região Metropolitana de Belém, mas até o momento segue incerto e sem respostas, já que o prazo final para o funcionamento do aterro de Marituba está marcado para 31 de agosto. Gustavo Brasil, Procurador do Município de Belém, concedeu entrevista à TV Liberal, na última terça-feira (1), e disse que foi feito pedido por parte dos municípios para o judiciário do Pará, ao desembargador que está lidando com a causa, para que ocorra uma prorrogação por mais seis meses do uso do aterro de Marituba. Até agora não há uma resposta oficial do que será feito.

Prefeitura de Belém inicia licitação para limpeza urbana em meio ao encerramento iminente do aterro de Marituba


O procurador destaca, que a cidade de Belém não dispõe de uma área possível para construção de um aterro. Diante disso, ele pontua que em seis meses, após o licenciamento, a prefeitura terá o início da primeira célula de operação com nova área para atender a demanda da Região Metropolitana de Belém.

Reginaldo Bezerra, que é diretor de negócios do grupo Guamá Tratamento de Resíduos, diz que se houver uma expansão deve ser em curto prazo, pois a capacidade do aterro de Marituba está praticamente esgotada. "O aterro está cercado, de um lado a comunidade e no outro uma área de proteção ambiental. Então, há uma limitação geográfica de expansão. Há necessidade de agilidade por parte dos órgãos para uma solução definitiva", pontua Reginaldo Bezerra em entrevista à TV Liberal.

Na última quarta-feira (2), o Tribunal de Contas dos Municípios do Pará (TCMPA) enviou mais duas notificações à Prefeitura de Belém e à Secretaria de Saneamento da capital para apresentarem explicações sobre o processo licitatório referente à coleta de lixo na cidade.

Na última segunda-feira, a prefeitura de Belém chegou a abrir um processo licitatório, mas no mesmo dia o Tribunal de Contas do Município recebeu denúncia de irregularidades e fez a primeira notificação à prefeitura de Belém.

De acordo com nota enviada pela assessoria de comunicação do TCM, nesta quarta-feira (2), o TCM enviou mais duas notificações à Prefeitura de Belém e à Secretaria de Saneamento da capital para apresentarem explicações sobre o processo licitatório referente à coleta de lixo na cidade. As notificações do TCMPA foram motivadas por denúncias recebidas pela Corte de Contas.

Prefeitura de Belém abre propostas para sistema integrado de resíduos sólidos em licitação e contrato prevê R$ 926 milhões


A nota informa ainda que os órgãos municipais de Belém têm cinco dias úteis para enviarem as informações ao TCMPA, a contar do recebimento das notificações. Assim, o prazo para a Municipalidade responder às solicitações relativamente à primeira notificação se encerra na segunda-feira, dia 7.

A reportagem entrou em contato com a assessoria da prefeitura de Belém, mas até o momento não obteve resposta.

A notificação à Prefeitura foi feita pelo conselheiro César Colares, responsável pelos temas relacionados à Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan) no TCM. A denúncia da empresa Aegea Saneamento e Participações S.A. aponta que o Município negou o pedido de impugnação do edital da licitação, mesmo após a empresa apresentar supostas irregularidades no certame.

A Aegea pleiteou que o TCM suspendesse a concorrência para reparar as supostas irregularidades presentes no edital.

Juiz suspende licitação para prestação de serviços de limpeza e gestão de resíduos de Belém


O edital prevê a contratação de uma empresa para construir uma central de tratamento em uma área próxima à região Metropolitana de Belém, mas o local ainda não foi informado.
 

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ

Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.
 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp