16/03/2023 às 11h58min - Atualizada em 16/03/2023 às 11h58min

Primeiras vacinas contra o vírus Mpox chegam ao Pará

Jornal Pará
Com informações da Agência Pará

Jornal Pará Publicidade 790x90

Marcelo Seabra/Ag. Pará

O Ministério da Saúde enviou o primeiro lote de vacinas Jyneeos, destinada à imunização contra a varíola causada pelo vírus Mpox, para o Pará. Foram entregues 747 doses na noite desta quarta-feira (15). 

 

Serão vacinados grupos prioritários elegíveis, já que a vacina será ministrada em duas doses (D1 e D2), com intervalo mínimo de 28 dias, sendo indicada para uso em profilaxia pré e pós-exposição ao vírus. O Ministério da Saúde não recomenda o uso desta vacina para imunização em massa da população.

 

O público-alvo elencado pelo MS envolve pessoas vivendo com HIV/Aids (PVHA): homens cisgêneros (que se identificam como homens), travestis e mulheres transexuais que tenham idade igual ou superior a 18 anos e status imunológico identificado pela contagem de linfócitos T CD4 inferior a 200 células, nos últimos seis meses.

 

Também fazem parte desse público profissionais do Laboratório Central do Estado (Lacen) que trabalham diretamente com Orthopoxvírus em ambientes com nível de biossegurança 3 (NB-3), na faixa etária de 18 a 49 anos. 

 

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) anunciará o recebimento das doses na reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que ocorrerá na sede da Secretaria, em Belém, na tarde desta quinta-feira (16). A distribuição das primeiras 709 vacinas ocorrerá mediante o que for pactuado com os secretários municipais de Saúde na reunião.

 

Outras 38 doses ficarão disponíveis para o atendimento de pessoas que tiveram contato direto com fluidos e secreções de pessoas suspeitas ou confirmadas para Mpox. Pessoas com diagnóstico para doença e/ou com lesões suspeitas não poderão receber a vacina. O imunobiológico foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial, com a finalidade de bloquear a transmissão da doença.

 

Contágio - A Mpox é uma doença viral, e a transmissão entre humanos ocorre principalmente por meio de contato com lesões de pele de pessoas infectadas. A infecção causa erupções, que geralmente se desenvolvem pelo rosto e se espalham para outras partes do corpo. Os principais sintomas são febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, linfadenopatia, calafrios e fadiga.

 

Até o dia 13 de março foram confirmados 123 casos de Mpox no Pará, em pessoas residentes em Belém (85), Ananindeua (20), Santarém (04), Marituba (03), Parauapebas (02), Barcarena (01), Paragominas (01), Marabá (01), Acará (01), Benevides (01), Itaituba (01), Portel (01), Vigia de Nazaré (01) e Castanhal (01). 

 

Outros 144 casos foram descartados. Não há ocorrências sendo investigadas. Um óbito foi confirmado em Belém. O acompanhamento e monitoramento dos pacientes são feitos pelas secretarias municipais de Saúde.
 

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ


Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp