16/02/2023 às 18h11min - Atualizada em 16/02/2023 às 18h11min

Carnaval 2023: como se prevenir de ISTs e curtir a folia

Rafael Miyake

Reprodução

A folia do Carnaval é contagiante, principalmente depois dos anos de Pandemia da Covid-19. Com a curtição, vem a bebedeira, e com a bebedeira as relações interpessoais. Uma coisa leva à outra, e as relações sexuais acontecem sem muita cerimônia. Mas você sabe como se prevenir?

 

Doenças como clamídia, gonorreia, sífilis, as infecções pelo Papilomavírus Humano (HPV) e pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) são as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) mais comuns na região Norte, segundo Ana Trindade, mestra em enfermagem e professora da UFPA.

 

“Lembrando que neste período também temos a “Doença do beijo” que é o termo popular para a Mononucleose Infecciosa, causada por um vírus da família herpes vírus, chamado de Epstein Baar Vírus. É uma doença transmitida por gotículas e por secreções sexuais com maior incidência na população jovem e adulta”.

 

De acordo com ela, a única forma de se prevenir realmente durante o período é não esquecendo a camisinha. “A prevenção da IST se dá por meio do uso da camisinha (masculina ou feminina) em todas as relações sexuais (orais, anais e vaginais), esse é o método mais eficaz para evitar a transmissão das ISTs, do HIV/Aids e das hepatites virais B e C”.

 

Para evitar maiores problemas, também, recomenda-se o uso de estratégias de prevenção combinada “A Prevenção Combinada está disponível no SUS sendo importante estratégia nos dias atuais para prevenção, abrange o uso da camisinha masculina ou feminina, ações de prevenção, diagnóstico e tratamento das IST, testagem para HIV, sífilis e hepatites virais B e C, profilaxia pós-exposição ao HIV, imunização para HPV e hepatite B, prevenção da transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatite B, tratamento antirretroviral para todas as pessoas vivendo com HIV/AIDS (PVHA)”.

 

Em Belém, a testagem para ISTs é feita gratuitamente pelo Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA). Além da testagem, o Centro também oferece vacinação e as Profilaxias Pré-exposição (PrEP) e pós-exposição (PEP), que impedem a infecção pelo vírus do HIV. A PrEP deve ser tomada diariamente por quem tem relações sexuais de risco regularmente, enquanto a PEP é tomada durante um mês após uma situação de risco.

 

Outra doença que, atualmente, causa preocupação, é a Mpox, chamada anteriormente de MonkeyPox, ou Varíola dos Macacos. Após uma explosão de casos na Europa, a doença chegou no Brasil em 2022, e ainda não tem tratamento ou vacina disponível no país.

 

O contágio ocorre por contato próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados, como roupas de cama. A transmissão de pessoa para pessoa está ocorrendo entre pessoas em contato físico próximo com casos sintomáticos.

 

“A doença não tem, na maioria dos casos, consequências graves. No entanto, o melhor caminho é o esclarecimento e a prevenção. É recomendado evitar contato com pessoas com diagnóstico positivo e higienizar bem as mãos. Não compartilhar alimentos, objetos de uso pessoal, talheres, pratos, copos, toalhas ou roupas de cama”, explicou a professora Ana Trindade.

 

Preservativos gratuitos serão distribuídos durante os blocos de carnaval de Belém. A prefeitura de Belém não informou que outras estratégias de prevenção serão adotadas no período.

 

Acompanhe mais sobre o Carnaval e a entrevista ao vivo com a professora Ana Trindade no JP em Pauta desta sexta-feira (17), às 12h, no canal do YouTube do Jornal Pará.
 

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ


Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp