20/01/2024 às 12h30min - Atualizada em 20/01/2024 às 12h30min

Belém: Empreendedores afetados pelo vendaval têm microcrédito aprovado pelo Banco do Povo

Pequenos empreendedores sofreram graves prejuízos durante o vendaval que atingiu os bairros do Parque Verde, Bengui, Tapanã e Coqueiro.

Da redação

Jornal Pará Publicidade 790x90

Agência Belém
A Prefeitura de Belém, por meio do Banco do Povo, iniciou o atendimento dos pequenos empreendedores que sofreram graves prejuízos durante o vendaval que atingiu os bairros  do Parque Verde, Bengui, Tapanã e Coqueiro no início desta semana. Nesta sexta-feira, 19, três empreendedoras que trabalham com a venda de comidas típicas, refeições e lanches, na Praça da Mangueira, no Conjunto Jardim Sideral, tiveram aprovado o crédito solidário no valor de R$ 5 mil para cada um.

SAIBA MAIS: ​Cartórios de Notas do Pará registram recorde de atos que comprovam bullying e cyberbullying


A coordenadora-geral do Banco do Povo, Georgina Galvão explicou que “Quando aconteceu o vendaval, a Prefeitura acionou todos os seus recursos para prestar atenção integral às vítimas. Na manhã seguinte, fomos com uma equipe para o Sideral e o conjunto Pedro Teixeira, onde mais uma empreendedora está tendo acompanhamento. Ajudamos as três pessoas atendidas no Sideral a elaborar os planos de negócio e, hoje, aprovamos o crédito de forma célere”, contou.

O crédito dos empreendedores do Sideral será liberado para pagamento na próxima segunda-feira, 22, devendo cair na conta corrente dos beneficiários até o dia seguinte. Outros quatro empreendedores da mesma praça serão atendidos pela Secretaria Municipal de Economia (Secon), que está providenciando uma lona para as barracas atingidas.

Como funciona:

Iniciado há dois anos, o programa Crédito Solidário atingiu a marca de R$ 1.607.762,00 em 537 operações de microcrédito realizadas, sendo o total de R$ 581.195 liberados para 198 pessoas somente em 2023. 

O programa concede microcrédito no valor de até R$ 5 mil para pessoas físicas e de até R$ 10 mil para pessoas jurídicas investirem no pequeno empreendimento, na forma de capital de giro (para a compra de mercadorias) e de capital fixo (para adquirir equipamentos e realizar melhorias no espaço de trabalho), com o pagamento parcelado em até 24 meses, carência de até seis meses para começar a pagar e juros que variam de 0,01% (juro zero) a 1,5%.

Com informações de Agência Belém

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ
Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp