03/11/2023 às 10h29min - Atualizada em 03/11/2023 às 10h30min

Governador de Goiás pede impeachment de desembargador que defendeu extinção da PM

O desembargador do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), Adriano Roberto Linhares Camargo, causou polêmica ao defender a extinção da Polícia Militar.

Da redação

Jornal Pará Publicidade 790x90

Reprodução
Recém-empossado no cargo de desembargador do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), Adriano Roberto Linhares Camargo, causou polêmica ao defender a extinção da Polícia Militar. A declaração do magistrado ocorreu na quarta-feira, 01, durante sessão de julgamento da Seção Criminal do TJ-GO. Segundo ele, há “abusos e excessos recorrentes” por parte da PM. ” Para mim, tem que acabar com a Polícia Militar de Goiás e instituir uma forma diferente na área da investigação e da repressão a crimes”, disse o desembargador.

Veja o vídeo:

 

Após a repercussão das falas, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), pediu o impeachment do magistrado. Em viagem internacional, Caiado gravou vídeo para protestar contra Adriano Roberto Linhares e chamou o magistrado de “você” e diz que ele “pratica verdadeiro crime contra a PM-GO”. “Você está atentando contra o estado democrático de direito ou você está cooptado por outras forças do crime do nosso estado”, disse o governador.

LEIA MAIS: Canaã dos Carajás terá mais representantes no legislativo a partir de 2025


“Sua fala deve ser avaliada pelo Conselho de Ética do Tribunal de Justiça, que deve lhe impor o impeachment, porque você não tem qualidades mínimas para responder com o título de desembargador. Você não está vestido com a liturgia do cargo. Você é um cidadão desrespeitoso, agressivo e inconsequente”, apontou o governador em outro trecho da gravação.

Confira o vídeo:

 
“Já mandei o procurador-geral do Estado de Goiás construir um documento consistente para encaminhar ao corregedor, para que as penas sejam, ali, muito bem aplicadas em um cidadão que não tem a mínima qualificação para ser desembargador do estado de Goiás”, afirmou Caiado.

DESEMBARGADOR SE DEFENDE

Diante do confronto gerado com o governador Ronaldo Caiado, o desembargador Adriano Linhares disse ao jornal O Popular que “jamais faria qualquer comentário sobre a pessoa do governador”. Segundo ele, a fala a respeito da PM estava inserido no contexto posto na sessão da Corte.

“Não tive nenhuma intenção de atingir a quem quer que seja, absolutamente. Apenas estava ponderando sobre episódios que me inquietavam. Apenas isso. Sem nenhuma intenção de ferir ou atingir quem quer que seja, ainda mais a quem não conheço. Lamento o mal-estar que causou e espero que possa ser superado o mais rápido possível”, pediu.

Adriano Linhares foi empossado desembargador do TJ-GO no último mês de agosto após atuar por mais de 20 anos como juiz em diversas comarcas de Goiás.

TJ-GO SE PRONUNCIA

Em nota, o TJ-GO aponta posição pessoal do desembargador e diz que tem a PM-GO “em elevado conceito”. “Compreensões ou opiniões expressadas por magistrados, em suas decisões e julgamentos, representam entendimento e convencimentos pessoais. O Poder Judiciário estadual, que é representado pelo presidente do Tribunal de Justiça (Carlos Alberto França), tem em elevado conceito a Polícia Militar do Estado de Goiás que, historicamente, tem prestado relevantes serviços à população goiana e merece o respeito e a consideração do TJGO”, diz a nota.

Sobre a abertura de processo contra o desembargador, o tribunal respondeu que “está examinando a questão, após tomar conhecimento dos fatos”.

Com informações de Juri News

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ
Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp