31/07/2023 às 09h16min - Atualizada em 31/07/2023 às 09h16min

Litoral Paraense: ações de educação ambiental são intensificadas no Pará

Ação do Governo do Pará visa garantir a proteção das tartarugas marinhas e outros animais que habitam nas proximidades da Praia do Atalaia, em Salinópolis.

Carlos Yury - com informações de Agência Pará

Jornal Pará Publicidade 790x90

Rodrigo Pinheiro / Agência Pará
Em um esforço contínuo para proteger os ecossistemas marinhos e conscientizar a população sobre a importância da preservação dos recursos naturais, o Governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio), faz diversas ações de educação ambiental na paradisíaca Praia do Atalaia, em Salinópolis, região nordeste paraense.

Com um cenário de tirar o fôlego e a rica biodiversidade marinha como pano de fundo, a iniciativa, liderada pelo Ideflor-Bio, tem como objetivo não apenas sensibilizar os frequentadores da praia, mas também fornecer conhecimentos valiosos sobre a preservação das tartarugas marinhas e a relevância da manutenção do ecossistema costeiro.

Belém: Assaltantes armados fazem reféns dentro de shopping


Toda ação educativa conta com a participação de especialistas em conservação marinha que promovem atividades interativas para todas as faixas etárias. Os visitantes são convidados a aprender sobre o ciclo de vida das tartarugas marinhas, os desafios que enfrentam e as medidas necessárias para garantir sua proteção. Além disso, são apresentadas dicas sobre como minimizar o impacto ambiental durante o passeio na praia.

"É essencial que todos compreendam o papel das tartarugas marinhas no ecossistema costeiro e a necessidade de preservar seus habitats. Essas ações de educação ambiental são fundamentais para construir uma consciência coletiva sobre a importância da conservação marinha", destacou o presidente do Ideflor-Bio, Nilson Pinto.

Satisfação - Moradora da capital paraense, a empresária Daniela Levy trouxe a família para aproveitar o final de semana na Praia do Atalaia. Ao se deparar com a ação do Estado, ela aprovou a iniciativa e sugeriu a ampliação dos trabalhos para todo o balneário. 

“Eu por exemplo, desde criança, passo o verão aqui em Salinópolis e é a primeira vez que vejo esse tipo de preocupação. Gostaria que fosse estendida essa preocupação para toda a praia, já que a gente está falando de meio ambiente. O descarte irregular de lixo ainda é um problema sério, por isso, conscientizar a população é fundamental, como propor a substituição das garrafas de vidro por algo reciclável”, afirmou. 

A comunidade local também desempenha um papel fundamental no sucesso da iniciativa e tem se mostrado engajada e entusiasmada em aprender sobre as práticas sustentáveis para a proteção do ambiente marinho. Através de apresentações culturais e debates, os moradores compreendem a importância de preservar a UC Monumento Natural do Atalaia e suas riquezas naturais para as gerações futuras.

Bloqueio - Desde fevereiro deste ano, o Ideflor-Bio e os órgãos de segurança pública bloqueiam 3 km da faixa de areia do Atalaia para proteção de cinco espécies de tartarugas marinhas: Caretta caretta (tartaruga-cabeçuda), Lepidochelys olivacea (tartaruga-oliva), Chelonia mydas (tartaruga-verde), Eretmochelys imbricata (tartaruga-de-pente) e Dermochelys coriacea (tartaruga-de-couro). O local é para desova e, posteriormente, eclosão dos ovos.

Há 15 anos morando no Pará, o casal Lívia e Vinícius, acompanhados do filho Pedro, de 8 anos, ficaram encantados ao saber sobre a desova de tartarugas marinhas no litoral paraense. Os três foram convidados a visitar os ninhos onde ainda se encontram mais de 100 ovos do quelônio e que devem eclodir nos próximos dias. Eles também avaliaram a implantação do bloqueio em 3 km da faixa de areia do balneário.

“Achamos a ideia perfeita, porque quem não quer esse movimento de carro, sujeira, bagunça e barulho, tem a oportunidade de vir para essa parte preservada da praia. Além disso, a gente observa que essa iniciativa tem possibilitado que a região fique mais limpa e segura. Por exemplo, temos um filho de 7 anos que gosta de correr, fazer castelo de areia, brincar de bola… agora podemos ficar tranquilos enquanto ele se diverte”, afirmou o casal.

Avanço - O diretor de Gestão e Monitoramento das Unidades de Conservação do Ideflor-Bio, Clésio Santana, informou a continuidade dessas ações de educação ambiental em outras localidades do Estado, reafirmando o compromisso do instituto com a conservação da biodiversidade e o estímulo à participação ativa da sociedade nessa missão.

“As atividades de educação ambiental na Praia do Atalaia, em Salinópolis, tem sido um verdadeiro sucesso, deixando um impacto positivo tanto nos visitantes quanto na comunidade local. Cada vez mais pessoas engajadas na proteção do meio ambiente, a esperança de um futuro sustentável para as tartarugas marinhas e toda a vida marinha ganha força, o que nos faz lembrar que a preservação da natureza é responsabilidade de todos”, enfatizou.

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ
Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp