04/07/2023 às 11h26min - Atualizada em 04/07/2023 às 11h26min

Marabá: pipas representam sérios riscos de acidentes na rede elétrica

Somente em 2022, a concessionária de energia registrou mais de 7 mil ocorrências de incidentes ligados às pipas.

Carlos Yury - com informações de O Liberal

Jornal Pará Publicidade 790x90

Tay Marquioro
Com o início do verão amazônico, as brincadeiras ao ar livre ficam mais frequentes, entre elas, empinar pipa. Mas é necessária uma atenção redobrada para evitar acidentes. É o que alerta a concessionária de energia do Pará. Somente em 2022, a Equatorial Pará registrou mais de 7 mil ocorrências de incidentes ligadas a essa recreação.

Em 2023, de janeiro a maio, a distribuidora de energia já registrou cerca de 1,8 mil reclamações de falta de energia que tinham como causa principal as pipas e as linhas enceradas utilizadas para empiná-las, que ficam presas na rede elétrica.

MEC anuncia resultado da primeira chamada do Prouni, abrindo oportunidades de bolsas de estudo


Os municípios da região sul e sudeste do Pará começaram a apresentar as primeiras ocorrências causadas por pipas no mês de maio. Marabá é a cidade campeã da região nesse tipo de caso, com 27 ocorrências, seguida por Parauapebas, com 8, Tucuruí, com 6, Redenção, com 5, e Xinguara, com 3 casos.

Natália Pirovano, técnica de segurança da Equatorial Pará, ressalta que há inúmeros transtornos que a brincadeira pode causar se for realizada nas proximidade de qualquer tipo de rede elétrica, tanto para quem está empinando pipa quanto para quem não tem nada a ver com a situação. “O principal problema é a interrupção do fornecimento de energia elétrica. As pipas causam o rompimento dos cabos pelas linhas que usam cerol, também conhecida por chilena”, explica.

As pipas ficam enroscadas na rede elétrica e podem provocar curtos-circuitos em dias úmidos. “Na tentativa de resgatar uma pipa enroscada na fiação, também pode ocorrer desligamentos no fornecimento, além de causar acidentes. É que, caso a pipa fique presa em um equipamento da rede elétrica, a pessoa pode tomar um choque de até 13.800 volts”, alerta Natália sobre os riscos de ocorrência de outros tipos de acidente por conta da descarga elétrica, que também aumentam consideravelmente.

A distribuidora de energia recomenda algumas precauções a serem seguidas pela população neste verão:

- Não solte pipas em canteiros centrais de ruas, avenidas, rodovias ou qualquer lugar onde exista fluxo de veículos;
- Linhas metálicas não devem ser usadas no lugar da linha comum. Nunca use cerol ou a linha “chilena”, elas são proibidas por lei e causam acidentes;
- Não utilize papel alumínio na confecção da pipa. É perigoso, pois este material em contato com os fios provoca curtos-circuitos;
Caso a pipa enrosque nos fios, é melhor desistir do brinquedo.
- Tentar recuperá-la representa sério risco, assim como tentar remover a pipa com canos ou bambus;
- Não solte pipa em tempo nublado, principalmente se tiver com chuva. Ela pode funcionar como para-raios, conduzindo energia;
- Não é indicado subir nas lajes das casas para empinar pipa, qualquer distração pode causar uma queda;
- Tenha cuidado com ciclistas e motociclistas, pois as linhas não podem ser vistas e linhas de cerol ou reforçadas podem causar graves acidentes.

Risco à vida - Os riscos provocados pelas linhas com cerol não causam só danos coletivos, mas podem abreviar a vida de quem encontra com esses materiais pelas ruas das cidades. Apesar de a comercialização e uso da linha chinela ser crime previsto no Código Penal Brasileiro, no artigo 278, com pena de detenção, de um a três anos, e multa, os acidentes são comuns e as maiores vítimas são motociclistas.

COMPANHE O JORNAL PARÁ
Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp