10/02/2024 às 09h30min - Atualizada em 10/02/2024 às 09h45min

Homem é preso suspeito de estuprar adolescente no Museu Emílio Goeldi, em Belém

Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (Deaca) Santa Casa informou que foi a partir da denúncia da vítima que foi possível pode chegar no autor do crime.

Da redação

Jornal Pará Publicidade 790x90

Divulgação / PC
Um jovem de 22 anos foi preso nesta quinta-feira (7), em Ananindeua, na Grande Belém, suspeito de estupro de vulnerável e armazenamento e compartilhamento de pornografia infantojuvenil.

O homem foi encaminhado para a Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (Deaca) Santa Casa e, em seguida, será levado ao sistema penitenciário, onde ficará à disposição da Justiça.

Operação Gabarito: Polícia Civil prende investigados por fraude no concurso público da Prefeitura de Parauapebas


As investigações iniciaram em 2023, após denúncias de uma adolescente de 17 anos que informou ter sido estuprada após se encontrar com o homem com quem conversava por uma rede social.

O encontro ocorreu no Museu Paraense Emílio Goeldi, onde a vítima estava com amigos. Na ocasião, o suspeito levou a vítima para um local mais afastado, onde praticou o crime.

O mandado de busca e apreensão foi expedido pela 1ª Vara Criminal de Inquéritos Policiais da Comarca de Belém. A Polícia Civil apreendeu um celular, onde a equipe da Polícia Científica identificou as imagens de pornografia infantojuvenil.

A polícia também identificou uma segunda vítima de estupro, que na época da ocorrência era adolescente.

“Foi a partir da denúncia da vítima que a gente pode chegar no autor. Então ressalto a importância de denunciar para que a polícia possa atuar na prisão desses criminosos. Também é muito importante o cuidado com quem você conversa na internet”, afirma a titular da Deaca, Karina Figueredo.

Em nota, o Museu Goeldi informou que “age para garantir a segurança das pessoas na área aberta à visitação pública. A instituição mantém vigilantes nas portarias, recepcionistas nas exposições, atendentes nos banheiros, mantém ronda periódica pela área aberta, etc”.

“Lamentamos profundamente que uma jovem tenha sido vítima de agressão, prestamos nossa solidariedade para a vítima e sua família. Também manifestamos a disponibilidade de ajudar em campanhas públicas de alertas aos jovens para identificar e se proteger de predadores virtuais”, diz o local.

Com informações de g1

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ
Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp