12/01/2024 às 12h00min - Atualizada em 12/01/2024 às 12h15min

Belém 408 anos: Prefeitura aposta na licitação para resolver limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos

Para os moradores, é um desafio conviver próximo a pontos críticos de descarga de entulho, que atraem moscas e urubus

Da redação

Jornal Pará Publicidade 790x90

Marx Vasconcelos /O Liberal
Com mais de 100 pontos críticos de descarga de entulho espalhados pela cidade, o principal desafio da Prefeitura de Belém, no momento, é a limpeza pública. No dia 8 deste mês, o prefeito Edmilson Rodrigues anunciou a conclusão do processo de licitação para concessão dos serviços de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos na capital.

Edmilson diz que esse contrato também inicia a solução final para a destinação do material recolhido. “Esse novo sistema é um marco histórico na zeladoria de Belém, inovação que vai levar o bem-estar pessoal e ambiental em todos os bairros e distritos. A demora se deu porque buscamos a solução verdadeira e responsável, e por isso mesmo mais difícil, ao invés de paliativos e improvisações”, afirmou.

LEIA TAMBÉM: Janela partidária: vereadores de Belém podem mudar de partido até abril


Nesses 100 pontos críticos de descarte irregular de resíduos sólidos são jogados entulhos, principalmente às margens dos canais que cortam a cidade. “Quando tem um entulho, as pessoas jogam o lixo domiciliar em cima do entulho, então aquilo vai se acumulando e é isso que está acontecendo hoje”, disse, há poucos dias, a secretária municipal de Saneamento (Sesan), Ivanise Gasparim.

“Porém falta mais cooperação da população em manter os locais limpos após a retirada de entulhos. É necessária a colaboração das pessoas em respeitar o dia e horário que o carro coletor passa na via e entender que quando se coloca um entulho na rua sem uma programação de retirada esse local irá se transformar num ponto de descarte irregular, para o descarte correto há o Zap-Entulho, serviço disponível através de Whatsapp (91 8499-0059)”, informou a Sesan.

Moradores falam sobre problemas causados pelos entulhos - Para os cidadãos também é um desafio constante morar em áreas onde sempre há o descarte irregular de entulhos. José Maria Ferreira, 50 anos, reside às margens do canal do Galo, próximo à travessa Djalma Dutra, no Telégrafo, um ponto crítico de descarga de entulhos. “Moro aqui há 20 anos e, desde que me mudei, já existia esse lixão aqui”, disse.

Ele afirmou que chegam pessoas em carros particulares, “gente que tem um pouco mais de dinheiro”, e jogam entulhos naquela área. É tanto entulho que ocupa parte da via. E atrai ratos e urubus. Para acabar com esse problema, José Maria Ferreira disse que é preciso ter “mais atenção do poder público. É preciso olhar com mais carinho para a popular, olhar para periferia de Belém. Ou seja, fazer uma coleta de lixo adequada”.

Jardins comunitários eliminam lixões - E, para não ficar dependendo apenas do poder público, em algumas áreas de Belém a população fez jardins comunitários para, assim, evitar o descarte irregular de lixo e entulho, sobretudo deste último, que é formado por restos de sofá, geladeira, fogão, entre outros materiais. Um desses jardins fica na avenida Perimetral, na esquina com a rua São Domingos, no bairro da Terra Firme. Essa área, antes, era usada como descarte irregular de lixo doméstico e de entulhos. Foi quando as moradoras Fátima Guilherme, 71 anos, a “Fafá”, e Madalena Pantoja, 75, tiveram a iniciativa de construir um jardim no local, há dez anos.

“Apesar de alguns não terem consciência, e fazer maldade aqui, a gente continua. Eles arrancam, levam, a gente planta de novo. Por isso, o nome desse jardim devia ser insistência, mas é espaço verde”, contou. “É uma luta diária muito grande, muito grande”, completou. Fafá disse que, agindo assim, os moradores cuidam do meio ambiente, respirando um ar melhor. “Acho que todos os moradores deveriam contribuir e estar aqui com a gente, ajudando. E não ficar só esperando o poder público. Quem sabe faz na hora. É isso que nós fizemos”, concluiu.

Funcionamento do aterro foi prorrogado por mais 15 meses - Na véspera do que seria o fechamento do Aterro Sanitário de Marituba, o Tribunal de Justiça do Estado do Pará acatou o pedido feito pela Procuradoria Geral do Município de Belém e determinou a prorrogação do funcionamento do aterro por mais 15 meses, até fevereiro de 2025, período em que o Estado do Pará e os municípios de Ananindeua e Belém devem elaborar e apresentar um plano conjunto de transição para a coleta de resíduos na Região Metropolitana da capital.

A decisão do desembargador Luiz Gonzaga da Costa Neto, da 2ª Turma de Direito Público, foi divulgada no final da noite de 29 de dezembro, e ocorreu dias após a empresa Guamá Tratamento de Resíduos anunciar o fim das atividades de despejo de lixo embasada em parecer do Ministério Público do Estado do Pará. Como resposta, o prefeito Edmilson Rodrigues chegou a anunciar, dia 25 de dezembro, a reabertura temporária do Lixão do Aurá após quase dez anos inativo, despertando uma série de críticas de especialistas e da população em geral.

E, em meio a essa discussão, há o Novo Marco Legal do Saneamento, uma versão mais atualizada da Lei nº11.445/2007. Promulgada no dia 15 de julho, a Lei nº14.026/2020 visa alavancar até R$ 700 bilhões em investimentos para melhorar os serviços de saneamento básico e a sua distribuição para a população, por meio de empresas privadas.

Eis as metas e prazos contidos nesta lei: a água potável deve chegar até a casa de 99% da população até o final de 2023; a coleta e o tratamento de esgoto devem alcançar até 90% da população até o final de 2023; deve haver o encerramento de lixões por todo o país, de acordo com a situação e necessidade de cada município, até o final de 2024. O objetivo do marco legal é diminuir consideravelmente o número de pessoas que não têm acesso a saneamento básico no país.

Com informações de O Liberal

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ
Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.



Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp