09/07/2023 às 09h00min - Atualizada em 09/07/2023 às 09h00min

Bombeiros reforçam alerta sobre segurança nas praias e balneários

A atenção deve ser não só com crianças, mas também com adultos que ingerem bebidas alcóolicas e os que vão sozinhos aproveitar a estação.

Redação - com informações de Dol

Jornal Pará Publicidade 790x90

Agência Pará
Chegou o mês de férias escolares, é tempo de a família aproveitar as praias e balneários. Porém, muitas vezes a ingestão de bebida alcóolica nesses lugares faz com que muitos relaxem e não prestem atenção em cuidados necessários não só com crianças, mas com adultos também.

Uma das instituições com mais prestígios do Pará e que trabalha ativamente na prevenção e guarda-vidas durante a operação verão, o Corpo de Bombeiros Militar do Pará tem centenas de representantes em praias de diversas regiões prontos para cuidar de quem pode passar por um descuido. Thiago Vasconcelos, Bombeiro Militar e Guarda-Vidas, é um dos que estão prontos para participarem do veraneio deste ano.

Santarém: Adepará apreende 17 toneladas de pescado impróprio para consumo


Thiago destaca que todos os balneários contarão com a presença dos Bombeiros como “os distritos de Outeiro e Mosqueiro (em Belém), os municípios de Vigia, Colares, Curuçá, Marapanim, Marudá, Crispim, Salinópolis, Conceição do Araguaia, Bragança, Soure, Salvaterra, Santarém, Tucuruí, Maracanã (Praia de Algodoal) e Barcarena, entre outras”.

Mesmo com a segurança reforçada, não significa que pode curtir desenfreadamente. Para cuidar das crianças, algumas medidas são mais eficazes para prevenir acidentes. “Sobre os cuidados com as crianças, o principal é sempre mantê-las a vista. Nunca as deixar sozinhas, com estranhos ou sob a responsabilidade de outras crianças. O corpo de bombeiros, junto com a Defesa Civil, distribui pulseiras de identificação para menores de idade, com nome e contato do responsável o que facilita a identificação da criança e a localização de seu responsável legal. Sempre levar seu filho até a barraca dos bombeiros é uma das dicas de cuidados, e ao entrar na água sempre acompanhar a criança, nunca deixar a água passar do umbigo”, reforça Thiago.

COM MODERAÇÃO - As crianças recebem atenção reforçada nas férias, mas muitos adultos acabam perdendo a vida por diversos fatores. Um deles pode ser o consumo desenfreado de bebidas alcóolicas.

De acordo com dados do Corpo de Bombeiros Militar do Pará e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, nos primeiros 5 meses de 2023 foram registradas 79 mortes por afogamento em todo o estado.

Sobre os adultos que se arriscam nas águas das praias e que, provavelmente irão pegar a estrada, a moderação deve ser a principal aliada. Se estiver sozinho, procure outros grupos de pessoas que estejam por perto. “Não ingira bebida alcoólica caso esteja dirigindo. Em caso de estar sozinho ou acomodado sempre perguntar aos bombeiros o horário da maré, caso tenha ingerido bebida alcoólica não entrar na água sozinho e nunca subestimar as praias e balneários. Ao entrar na água sempre procurar um local com pessoas e próximo dos bombeiros e evitar que a água passe muito do umbigo”, alerta o Guarda-Vidas.

MARÉS - Muitas praias do Pará são de água doce, ou de rios, e, ao contrário do que muitos podem pensar, a maré é bem forte com ondas e profundidade que podem ser um perigo.

Ao escolher a praia para se divertir com a família, a maré e outras características físicas do espaço interferem nos cuidados. Os Bombeiros pedem que mesmo antes de entrar na água, o banhista esteja atento aos horários de baixa mar e preamar.

“A atenção com a maré começa antes mesmo de entrar em contato com a água. É tomando conhecimento dos horários diários da baixa mar (menor altura da maré) e preamar (maior altura da maré) para prever e evitar os horários com a maior altura do nível d'água (preamar) no qual geralmente as ondas estão mais agitadas e as correntes mais aceleradas”, explica Thiago.

Quanto ao melhor horário para banho, Thiago enfatiza: “é indicado avaliar o momento em que a água estiver com menos agitação de correntes e ondas a fim de evitar o acidente aquático. Vale ressaltar ainda que mesmo em águas calmas, o banhista precisa manter os cuidados para não ir ao fundo e não deixar a altura da água passar da altura do seu umbigo. ‘Água no umbigo, sinal de perigo’”, conclui.

 

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ

Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp