24/04/2022 às 10h47min - Atualizada em 24/04/2022 às 10h47min

Leão foi encurralado na própria toca e fechou a 3ª rodada no empate com clube gaúcho

Time azulino até saiu na frente com 2 gols de diferença. Mas, no cochilo do leão, o "mais simpático do RS" deixou tudo igual.

Mayron Gouvêa

Jornal Pará Publicidade 790x90

Foto: Clube do Remo

O gol de abertura do placar – em uma partida cansativa para os donos da casa especialmente – demorou, só veio aos 5 minutos da etapa final. Numa jogada bonita pela lateral direita, Leonan, de pé esquerdo, lançou na cabeça do centroavante Brenner que, na categoria, cabeceou e acertou a rede para delírio da torcida. Foi o segundo gol do jogador na competição.

Com a equipe acordada, aos 11 minutos, Brenner, que não agradou na etapa inicial, recebeu de Anderson Uchoa e ajeitou pra Rodrigo Pimpão explodir no fundo da rede. Assim veio o 2º gol azulino no confronto - o 4º gol remista no brasileirão. 

A festa teve um momento de tensão aos 18 minutos, quando o homem do jogo, o centroavante Brenner, acabou envolvido em uma confusão com o atacante Tiago Pedra de "o mais querido do RS".

Por conta dos empurrões e do tumulto provocado, os dois jogadores receberam cartão amarelo - e como Tiago Pedra já tinha um amarelo do primeiro tempo, ele acabou expulso com cartão vermelho. Mas, o fato pareceu desestabilizar a equipe do Remo e abriu margem pro São José Gaúcho correr e igualar o placar.

Aos 25 minutos, aproveitando o desconforto remista e pressionado com os gols do clube paraense, o time gaúcho partiu pra cima e aproveitou um meio de campo azulino vazio, sem armador. Com o passe livre, o jogador Marcelo cruzou na área, Cristiano pulou sozinho e acertou o fundo do barbante com uma cabeçada de quem sabe o que faz. Foi o primeiro gol do “zequinha”, como também é chamada a equipe do Rio Grande do Sul.

Menos de um minuto depois, marcando 26 no relógio, o Maradona do São José chutou com a costa do pé e sem pretensão mandou pra rede para tristeza dos azulinos. Este foi o gol do empate! Tudo igual no baenão. 

As duas equipes pressionaram na tentativa de marcar o 3º gol, mas não saíram do lugar. Final de partida: Remo 2, São José 2.

 

Primeiro tempo sem grandes emoções

 

O confronto pareceu cansativo aos azulinos, porque por exatos 45 minutos - durante toda a etapa inicial - a torcida viu incrédula os leoninos recuarem as garras, mesmo com o comando da bola. A principal e aparente dificuldade da equipe azulina? Um "buraco" no meio de campo, sem titular oficial - que Neto deveria ter resolvido, mas não desencantou. O time do Leão falhou na cobertura, nos passes mais técnicos e não teve rapidez nas jogadas contra o São José, que jogou mais recuado, mas foi mais rápido ao perceber o erro técnico dos remistas.

“Inexplicável o que aconteceu. O time apagou depois do segundo gol. Esse buraco no meio de campo é perceptível já em alguns jogos, porque estamos jogando sem meia faz bastante tempo. Mas é isso: melhorar, levantar a cabeça e seguir, porque ainda temos um campeonato inteiro pela frente. A partida contra o Cruzeiro é a mais perigosa”, lembrou Matheus Gibson, 20, supervisor comercial e torcedor do remo.

 

Classificação

 

Com o resultado, o Remo, com 4 pontos, assume a 11ª colocação, mas pode cair duas posições até o fim da rodada. Agora, a partida contra o Confiança, marcada para domingo (01 de maio) às 19h no Batistão, é fundamental porque o clube paraense precisa vencer e apagar esse empate. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp