13/07/2023 às 09h42min - Atualizada em 13/07/2023 às 09h42min

Marabá: Força Tarefa reúne órgãos municipais e estaduais no combate aos incêndios

Órgãos municipais e estaduais unem-se no combate aos incêndios a fim de evitar transtornos à população.

Carlos Yury - com informações de Ascom Prefeitura de Marabá

Jornal Pará Publicidade 790x90

Secom
Durante o período do “verão amazônico”, as chuvas cessam e com o clima seco, a vegetação fica mais suscetível às queimadas, tanto de causas naturais, como também causadas pelo ser humano. Diante desse cenário, órgãos municipais e estaduais unem-se no combate aos incêndios a fim de evitar transtornos à população.

Desde 21 de junho, a Brigada de Combate a Incêndios da Defesa Civil de Marabá está em ação com os brigadistas que atuam nos focos de incêndio no município. No início, a Brigada já atendeu 19 ocorrências, todas ocasionadas pela ação humana, sendo a maioria de baixas e médias proporções e com maior frequência no núcleo Nova Marabá.

Núcleo de Apoio Psicossocial e Pedagógico de Parauapebas é referência no Pará


A equipe da Brigada é composta por 15 pessoas entre bombeiros civis, motoristas e outros profissionais. A ação da Brigada ocorre em conjunto com o Corpo de Bombeiros Militar, que são acionados pelo 190, 193 e pelo número próprio da Brigada (94) 991717173.

A Brigada funciona de domingo a domingo, das 8h às 18h. Os agentes realizam o combate ao fogo com a utilização do kit Pick-up, utilizado como jato, e da mochila costal, dispositivos mais dinâmicos que alcançam lugares onde a bomba não alcança, além do caminhão pipa, com capacidade para 20 mil litros, cedido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma).

“No início, a gente trabalha com a conscientização falando sobre não atear fogo porque isso gera multa. Em algumas dessas ocorrências, a gente conseguiu ver os infratores, conversamos, conscientizamos eles a não prevalecerem nesse mesmo erro. A Brigada é importante porque a gente trabalha na prevenção devido às pessoas sofrerem com a respiração, falta de ar, doenças ou algo do tipo. A gente trabalha para conter e para a melhoria da população de Marabá”, ressalta Juniel Santos, Chefe de Guarnição da Brigada de Combate a Incêndios.

Os brigadistas passaram por curso preparatório junto ao Corpo de Bombeiros. A parceria é importante pois concentra as informações e ações no combate a incêndios pela cidade.

Para o Tenente Ávila Rodrigo, do 5º Grupamento Bombeiro Militar, é importante que a população tenha consciência que realizar queimadas para limpeza de terrenos ou renovação de pastagens é crime ambiental que atinge diretamente a fauna e a flora, além dos problemas de saúde gerados à população.

“Tais ações são criminosas, tendo em vista que esse tipo de queimada é ilegal. O Corpo de Bombeiros do estado do Pará, especificamente o 5°GBM em Marabá, já tem atuado em diversas ocorrências de fogo em vegetação, em vários bairros de Marabá e até em outros municípios em que nossa unidade atua. Tendo em vista o alto número de ocorrências de fogo em vegetação, a Defesa Civil municipal por meio dos Bombeiros Civis, através de uma parceria com o 5°GBM, tem também atuado nas ocorrências de fogo em vegetação, sempre com um Bombeiro Militar à frente da situação, juntando forças para combater de forma mais eficiente esses tipos de ocorrência”, explica Tenente Ávila Rodrigo, do 5º Grupamento Bombeiro Militar.

No que diz respeito à atuação da Semma, além da cessão do carro pipa, a secretaria também acompanha as ações de combate às queimadas realizando a conscientização, mas também a aplicação de sanções quando necessário e quando os infratores são identificados. Nesse sentido, a equipe de fiscalização da secretaria é sempre acionada para dar suporte.

Paulo Chaves, coordenador de fiscalização da Semma: “Uma vez identificada, essa pessoa é notificada e responderá um processo administrativo. A Defesa Civil, por meio da brigada, faz o combate da queimada e a Semma atua no sentido de identificar a pessoa que cometeu o crime ambiental. A gente sempre pede à população para ter consciência de que queimar lixo é prejudicial à saúde e tem que saber que isso é um crime ambiental”, declara Paulo Chaves, Coordenador de Fiscalização da Semma.

O indicado é que a população busque formas alternativas para a limpeza dos terrenos e destinação dos resíduos. A multa para quem realiza queimadas varia de R$ 50 reais a R$ 50 milhões de reais e o infrator responde a processo administrativo junto à secretaria e dependendo da gravidade pode ainda ser conduzido à delegacia. O processo também é encaminhado ao Ministério Público que pode apresentar denúncia à justiça.

As ações contam ainda com apoio do Grupamento de Proteção Ambiental (GPA) da Guarda Municipal de Marabá (GMM).

ACOMPANHE O JORNAL PARÁ
Quer ficar bem-informado sobre os principais acontecimentos do Pará e do Brasil? Siga o Jornal Pará nas redes sociais. O JP está no Instagram, YouTube, Twitter e Facebook.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp