26/10/2022 às 14h02min - Atualizada em 26/10/2022 às 14h02min

Custo da alimentação básica dos paraenses sobe mais que o dobro da inflação dos últimos 12 meses, segundo DIEESE

Amaral Rosa, estagiário sob supervisão de Yuri Siqueira, jornalista

Jornal Pará Publicidade 790x90

Segundo as análises do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE/PA), o custo de vida dos paraenses ainda continua elevado, principalmente pelas fortes altas registradas nos preços dos Alimentos Básicos. 

De acordo com as recentes pesquisas realizadas pelo DIEESE, no mês de setembro, por exemplo, a cesta básica de alimentos comercializada na capital pela primeira vez este ano no custo apresentou recuo de preço, mesmo assim, a mesma ainda compromete na sua aquisição cerca de 55,00% do salário mínimo atual de R$ 1.212,00, em vigor desde janeiro deste ano. 

Ainda segundo as análises do DIEESE, as causas destes aumentos nos preços dos alimentos, passam por uma série de questões, entre elas, a sazonalidade de vários produtos, fatores ligados à comercialização, altas nos custos de produção, altas consecutivas nos preços dos combustíveis e consequentemente aumentos nos custos dos fretes.

Entre setembro do ano passado à setembro deste ano, a Cesta Básica dos paraenses ainda acumula alta de quase 17,00%, este percentual é mais que o dobro da inflação calculada em 7,19 (INPC/IBGE) para o mesmo período.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp