20/04/2022 às 07h59min - Atualizada em 20/04/2022 às 07h59min

No Pará, Polícia Federal realiza operação contra maior fraude ao auxílio emergencial do país

Segunda fase da Operação Thesaurus investiga casa lotérica em Ananindeua, que fraudou R$ 19 milhões do benefício. Dinheiro era lavado na prática de agiotagem, abertura de empresas e compra de imóveis e carros de luxo

Mayra Leal, com informações da Polícia Federal

Jornal Pará Publicidade 790x90

Cerca de R$ 1,2 milhão de reais que estava em posse dos investigados. (Ascom PF)
Na manhã de hoje, 20, a Polícia Federal no Pará deflagrou a segunda fase da Operação Thesaurus, que combate a apropriação indevida e lavagem de dinheiro destinado ao pagamento de auxílio emergencial. Estão sendo cumpridos 17 mandados de busca e apreensão e 3 de prisão temporária na Região Metropolitana de Belém e em Natal no Rio Grande do Norte.  A operação diz respeito aos desdobramentos das investigações sobre a agência lotérica, localizada em Ananindeua, que de abril a julho de 2020 solicitou à Caixa Econômica Federal, mais de R$ 19 milhões para pagamento de auxílio emergencial, mas nunca prestou contas do valor recebido. A polícia descobriu que o dinheiro roubado era lavado na prática de agiotagem, abertura de empresas, compra de veículos e imóveis de alto padrão, geralmente em nome de parentes da investigada, que serviam como laranjas.  

Primeira fase

Em setembro do ano passado, a proprietária da lotérica foi presa preventivamente na primeira fase da operação. Na época, foram apreendidos três automóveis de luxo, identificados como frutos da lavagem de dinheiro. O dinheiro era lavado nas cidades de Belém, Natal e São Paulo. No final do ano passado, dois irmãos da investigada devolveram R$ 2,2 milhões, metade desse valor em espécie e a outra metade por transferência bancária. 


A Justiça Federal também determinou o bloqueio de bens e valores dos investigados até o limite de R$ 16.682.543,10 (dezesseis milhões, seiscentos e oitenta e dois mil quinhentos e quarenta e três reais e dez centavos), além do sequestro de 23 imóveis. Entre apreensões, devolução de valores e bens sequestrados, já foram recuperados cerca de R$ 12,4 milhões.

Maior fraude

O nome da operação Thesaurus significa tesouro, em latim. “O nome faz alusão à expressiva quantia apropriada, suficiente para pagamento de mais de 30 mil cotas de auxílio emergencial, considerando a cota de 600 reais. É a maior fraude envolvendo o benefício já registrada no país”, destaca o delegado Salomão Moraes.
Os envolvidos são investigados pelos crimes de peculato, associação criminosa e lavagem de capital.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp