17/08/2022 às 15h48min - Atualizada em 17/08/2022 às 15h48min

Artistas paraenses e maranhenses apresentam sua criatividade por meio de galeria virtual

Os artistas, ao longo dos últimos meses, realizaram obras em 11 cidades no Pará e Maranhão com base em técnicas de grafite, estêncil e colagem

Jefferson Machado, estagiário, sob supervisão de Yuri Siqueira, jornalista.

Jornal Pará Publicidade 790x90

Artistas paraenses e maranhenses participam da Mostra Cultural Arte em Cores 2022 que poderão ser apreciadas pelo público, a partir desta terça feira, 16, nos municípios de Marabá, no sudeste paraense, e em Alto Alegre do Pindaré, no estado do Maranhão.

As obras dos 49 artistas, terão uma novidade esse ano, pois o público que não puder ir aos municípios, poderá acessar as 50 obras, por meio da galeria virtual que foi lançada nesta edição e pode ser acessada pelo link  https://arteemcores.art.br/.

A galeria resume o trabalho realizado ao longo do projeto Arte em Cores 2022. Por exemplo, na Sala Tocantins, é possível ver o trabalho de 39 artistas e a Sala Araguaia exibe a produção dos 10 artistas que foram eleitos, na segunda etapa do projeto. Já os painéis apresentam os murais que foram realizados coletivamente nas cidades de Marabá e Alto Alegre do Pindaré.

Os 49 artistas participantes, ao longo dos últimos meses, realizaram obras em 11 cidades no Pará e Maranhão, as atividades foram criadas, com base em técnicas de grafite, estêncil e colagem que acabam retratando o talento, criatividade e habilidade dos artistas. Cada um deles construiu um mural nas ruas, travessas e avenidas de suas cidades.

As cidades que mais ganharam beleza e cor com os murais no Pará são, Parauapebas, Canaã dos Carajás, Ourilândia do Norte e Tucumã. Foram realizadas 50 obras espalhadas, por 11 municípios, no Pará e Maranhão, apenas nesta edição do projeto.

A grande singularidade dos artistas é a valorização da cultura local e de elementos do cotidiano e de suas histórias, como exemplo, o mural, o menino negro que representa as contribuições da africanidade na formação social de Marabá, que está cercado pela fauna e pela flora nativas. Os peixes carregados nas costas fazem menção à pesca, atividade tradicional da região e a alusão também à profissão de alguns familiares dos artistas.

Outro elemento que percebemos na arte é a Cerâmica que valoriza a cultura indígena no Pará, e aos pés do menino, crianças se divertem com brincadeiras, que também marcaram a infância dos autores.

Não podemos deixar de frisar as figuras femininas e indígenas que se apresentam nos trabalhos com destaque, enfatizando as diversas contribuições históricas na região amazônica.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalpara.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp